Mulheres e o mercado de trabalho

De acordo com o Artigo 113, inciso 1 da Constituição Federal, “todos são iguais perante a lei”. esse direito foi conquistado através de muita luta e anos de trajetória para os direitos das mulheres, que ainda não são realmente colocados em prática. Entenda a trajetória da mulher no mercado de trabalho nesse post.

Ainda há muito a ser conquistado na luta pelos direitos das mulheres, já que para ter uma real autonomia financeira, é necessário nos dias atuais que se estabilize de certa forma em uma carreira profissional.

Trajetória das mulheres no mercado de trabalho

A trajetória das mulheres no mercado de trabalho é recente, já que essa luta se iniciou quando os homens foram para as frentes de batalha nas Guerras e muitos não retornaram para a casa,  e os que voltaram geralmente mutilados, não conseguiam tocar os negócios da família, e a mulher que até então era vista somente como organizadora do lar ou dona do lar (que a até hoje é vista e nomeada assim, por grande parte da sociedade), começa a se mostrar perante a sociedade, porém com o respaldo do marido, pois não se perdeu a titulação de (mulher de fulano). A real autonomia, iria ser conquistada com muita luta muitos anos depois.

Em 1932, a mulher conquista o direito o voto, onde pode exercer seu direito de cidadã, entretanto ainda com grande influência masculina, pois ainda se estendia a ideia de que mulher não poderia pensar por si mesma.

Com a chegada da pílula anticoncepcional em 1962, a autonomia da mulher em questão da maternidade de seu próprio corpo, passa ser real. Com o controle de natalidade ou a opção por uma carreira sem necessariamente ser mãe ou dona de casa, passa a dar voz e vez para as mulheres.

Mas o mercado de trabalho não foi facilitado para elas, já que somente em 1976 a mulher pode concorrer ao um mercado formal de trabalho.

Nos anos 90, com o aumento da escolaridade as mulheres começam a ter cargos de liderança e conquistar profissões até então masculinas.

Profissões escolhidas pelas mulheres

As profissões escolhidas para/por mulheres geralmente está ligada ao cuidado ou até mesmo com pouco esforço físico ( já que a sociedade nos dá a falsa ideia de sexo frágil)

Mas isso não é regra, várias mulheres estão tomando posições em cursos de Graduação tipicamente masculinos, como as Engenharias, Áreas da Tecnologia e Computação e Ciências Contábeis. Forças Armadas , entre outras.

Trabalhos tipicamente masculinos como prestação de serviços: Mecânicos, Pedreiros, Encanadores e Seguranças, também estão sendo conquistados por mulheres e demostram que são tão competentes quanto os homens.

Dupla jornada exercida pelas mulheres

A dupla jornada feminina é uma velha conhecida das mulheres, já que assim que despontamos para um mercado de trabalho competitivo, ao escolhermos ter uma família, quando se chega em casa ficamos com o trabalho doméstico e o cuidar do filhos.

Tarefas que devem ser divididas igualmente para os pais, onde o companheiro deve cooperar com as tarefas domésticas já que também tem as mesmas necessidades como se alimentar, ter roupas limpas e casa limpa.

Deixar com que a tarefa recaía toda sobre a mulher além de injusto é um comportamento machista, que é reproduzido pela sociedade onde a mulher tem "obrigações de mulher", e o homem "obrigações de homem"

O ideal é que no âmbito familiar, o menino saiba do valor dos afazeres domésticos e também os realize.

Entendemos que a mulher pode ter uma carreira, ser destaque na sociedade e também deve ter os mesmos direitos e deveres que os homens.

24/03/17 por Verônica

   

Mais informações por email

Comentar